Grandes motocicletas: Harley-Davidson Fat Boy

Um dos modelos mais famosos da Harley-Davidson, a Softail Fat Boy está completando 28 anos de produção em 2018. Além de ser uma estrela de cinema e ícone custom, a motocicleta nunca deixou de ganhar importantes melhorias tecnológicas.

Harley-Davidson Fat Boy (1990)

Harley-Davidson Fat Boy em sua primeira versão: apenas na cor cinza. (Fotos: H-D/Divulgação)

Para a Harley-Davidson Motor Company, a década de 1980 foi marcada por acontecimentos importantes. Após a recompra da AMF em 1981, a marca começou seu renascimento; o lançamento do H.O.G. (Harley Owners Group) em 1983, a introdução do motor Evolution em 1984, seguidos pela entrada da empresa na bolsa de valores de Nova Iorque, em 1987.

Graças a esses passos ousados, a marca de Milwaukee novamente tornava-se a fabricante líder de motos de alta cilindrada nos Estados Unidos em 1989. No mesmo ano, era feito o lançamento dos modelos para 1990. Entre eles estava a origem a FLSTF Fat Boy, criação de Willie G. Davidson.

A Fat Boy foi um dos primeiros modelos da marca com rodas fundidas. Com 16 polegadas de diâmetro elas deram o toque de estilo mais característico da motocicleta e, durante seus primeiros 18 anos, foi a única que as utilizava. O pneu traseiro, com 200 mm de largura, era o maior de todos os modelos na época do lançamento e estes atributos foram fundamentais para proporcionar um visual corpulento à moto.

A Fat Boy faz parte da família Softail, que tem por característica principal os amortecedores escondidos sob o para-lamas, permitindo que os pilotos se beneficiem do conforto de uma suspensão de concepção mais moderna, sem perder o clássico visual hardtail.

O modelo original era alimentado pelo motor Evolution V-Twin de 1340cc introduzido em 1984. Em 2000, houve uma atualização para o Twin Cam 88B (1450cc) e em 2007, o Twin Cam 96B (1584cc). Em 2016 foi a vez da chegada do Twin Cam 103 High Output de (1690cc), antes apenas disponível para a família Touring.

Em 2017, uma revolução: assim como todas os modelos da família Softail, a Fat Boy ganhou um novo chassi (o que não acontecia desde o lançamento) e um novo motor, o Milwaukee Eight 107º  (1745cc) ou 114º (1868cc), os maiores já disponibilizados para a motocicleta.

Estrela de Cinema

arnold-schwarzenneger-harley-davidson-fat-boy-terminator-2-1991-2Talvez a Fat Boy seja mais conhecida pela participação com grande destaque no filme “O Exterminador do Futuro 2 – O Julgamento Final” (1991). Pilotada por Arnold Schwarzenegger, a motocicleta realizou um dos saltos mais famosos da história do cinema. A proeza foi realizada com o auxílio de cabos, que reduziram o peso da motocicleta e do piloto ao tocarem no solo. Os cabos foram apagados na pós-produção.

Várias Fat Boy foram utilizadas na gravação do filme mas, na verdade, a moto pilotada por Schwarzenegger foi adquirida em 2014 pelo Museu Harley-Davidson, onde atualmente está em exposição. O modelo reapareceu na quinta parte da saga (2015) e vai ser leiloada em Los Angeles, no próximo mês.

O sucesso da Fat Boy no filme foi tanto que a Universal Studios criou a atração “Terminator 2”, apresentando uma motocicleta caracterizada como Fat Boy entre as atrações do parque, privilégio concedido apenas a outros ícones do cinema, como o Delorean de “De Volta para o Futuro” e o Tubarão.

1990 – Lançamento da Fat Boy

Harley-Davidson Fat Boy (1990) 2O aparecimento da primeira Fat Boy foi um sucesso instantâneo. Apelidada de “The Gray Ghost” (em português, “O fantasma Cinza”), uma vez que só estava disponível nesta cor, a motocicleta tinha um estilo único e suas “gordurinhas” chamavam a atenção.

Rodas robustas, pneus largos e um tanque de combustível amplo contribuíam para seu estilo imponente. O sistema de duplo escape shotgun também cooperou para um visual original que foi muito copiado por outras marcas.

2005 – A Screamin’ Eagle Fat Boy

Harley-Davidson Fat Boy (2005)A Fat Boy ganhou o tratamento CVO, pela primeira vez, para o modelo 2005. A Screamin’ Eagle Fat Boy ostentava um motor Stroker Twin Cam de 1690cc, suspensão traseira rebaixada e um novo assento estilo pan-style, em três novas combinações com duas cores e acabamento de metal.

2007 – Mudanças no modelo

Harley-Davidson Fat Boy (2007)O visual da Fat Boy ficou mais robusto em 2007, graças a uma nova roda dianteira de 17 polegadas (anterior tinha 16), e um pneu traseiro mais largo. A marca registrada do modelo é a roda dianteira em disco de alumínio, que ganhou novos bullet-hole. Novos detalhes gráficos no tanque de combustível e em ambos os para-lamas acrescentaram um toque ainda mais estiloso à moto.

2010 – O surgimento da Fat Boy Special

No início da década, a nova Fat Boy Special (chamada de “Fat Boy Lo” nos Estados Unidos) trocou os elementos cromados pelo fosco acetinado e ficou ainda mais baixa, com apenas 61 cm  de altura do assento até o chão.

O assento e o guidão mais estreitos também ajudaram o modelo a se tornar um grande sucesso, principalmente entre os pilotos mais jovens e de menor estatura. Plataformas meia-lua também a diferenciam da original.

2015 – Novo sistema de freio, acelerador eletrônico e nova motorização

Harley-Davidson Fat Boy (2015)O modelo 2015 passou a contar com novo sistema de freio dianteiro, presente em todos as motocicletas da família Softail, que proporciona uma redução de 40% na força aplicada nos freios durante frenagem máxima. O cilindro mestre de freio foi reestilizado.

Ainda no mesmo ano, mas já como modelo 2016, a grande novidade fica por conta da chegada do acelerador eletrônico throttle by wire e do motor Twin Cam 103 High Output de 1690cc, antes disponível apenas na família Touring

2017 – Revolução com chassi e motor inéditos

harley-davidson-fat-boy-2018Em 2017, a Fat Boy ganhou as alterações mais profundas desde o seu lançamento em 1990. O chassi é 65% mais rígido, 17 quilos mais leve e com 22% a menos de soldas. A suspensão também é inteiramente nova e regulável, resultando em maior agilidade.

Agora, há duas opções de motor, os novos Milwaukee Eight 107º (1745cc) ou 114º (1868cc), ambos com quatro válvulas por cilindro, novo cabeçote e um sistema de exaustão redesenhado, proporcionando maior potencia e menos vibrações.

Deixe uma resposta