Como trocar o seu kit de relação em casa


Trocar o kit da relação de transmissão de sua motocicleta (composto por corrente, coroa e pinhão) é um serviço relativamente simples desde que você tenha as ferramentas certas e tudo seja feito com calma e na ordem correta. Aqui você vai ver o passo a passo da operação que pode ser feita na sua própria casa.

2011 Zero MotorcyclesO kit de transmissão é um dos pontos chaves em uma motocicleta. É ele o responsável por transferir a potência gerada pelo motor para a roda traseira e o cálculo entre torque, folga, resistência do material e qualidade da manutenção precisam ser corretos, para que o máximo de performance e durabilidade sejam atingidos (em torno de 20.000 quilômetros nas motos mais acessíveis).

Após esse período, os dentes da coroa e do pinhão começam a ficar gastos e os elos da corrente a ficarem frouxos, não reproduzindo todo o potencial que o motor pode oferecer. Mais do que isso: em casos extremos, a corrente pode se romper, travando a roda traseira e ocasionando um acidente grave.

É hora, portanto, de trocar o kit de relação. Praticamente 99% dos usuários recorrem à um mecânico para efetuar a serviço, mas se você tiver gosto por mecânica, algum conhecimento prévio, as ferramentas adequadas e tempo livre, o procedimento é interessante. Existem diversas formas de fazer a manutenção, mas a que apresentamos aqui é uma das mais práticas para se fazer em casa.

1) Retirada do pinhão

Pinhão 1

Retirada da capa, da trava do próprio pinhão.

Antes de tudo, deixe a sua moto reta, ou seja, não basta o descanso lateral. Se o seu modelo tiver um cavalete central, use-o. Se não, você terá que utilizar aqueles removíveis, de se colocar no braço oscilante. Também é recomendável possuir uma rampa para trabalhar de pé. Caso não tenha, terá que fazer tudo agachado no chão.

A primeira coisa a ser feita é remover o pinhão, que na maioria esmagadora das motos está coberto com uma capa, normalmente fixada por poucos parafusos. Após a retirada da capa, você vai se deparar com a trava do pinhão, uma pequena presilha. Se estiver gasta, aproveite para substituí-la no ato.

2) Retirada da corrente

Corrente 1

A retirada dos pinos e o macete de encaixar a nova corrente na velha para facilitar a retirada.

Após colocar o pinhão novo e sua trava, chegou a hora de trocar a corrente. Gire a roda e posicione a emenda sua emenda na parte de baixo para facilitar a sua retirada. Agora, é necessário remover a trava da emenda e depois os rebites que a mantém os elos unidos. Isso pode ser feito com uma ferramenta específica ou com um simples alicate. É mais uma questão de jeito do que de força.

Corrente 2

Detalhe dos pinos e dos retentores.

Com a corrente aberta, pegue a corrente nova e emende na antiga. Esse é um macete que vai facilitar o seu trabalho de passá-la por entre os dentes do pinhão e da coroa. Depois de ter feito isso, você pode tirar a corrente velha sem maiores problemas.

Agora, com a corrente nova no lugar certo, você terá que uni-la novamente. Bons kits de relação vem com retentores, pequenas borrachas para colocar antes dos pinos. Funcionam como coxins atenuadores de vibração e ruídos. São dois de cada lado. A seguir, com o alicate, você prende a capa do retentor e, por fim, novamente a trava. A corrente, então está fechada e pronta para uso. Você já pode recolocar a capa do pinhão novamente, eliminando mais uma fase no processo.

3) Soltando a roda e a coroa

Coroa 1

Retirada do freio traseiro, do parafuso central, da roda e da coroa.

Agora, é hora de soltar a coroa velha e para isso você terá que retirar a roda traseira. Antes de começar, no entanto, você terá que liberar o freio traseiro. Em motos com sistema a tambor, basta desrosquear o parafuso, com a mola. Quando se trata de freios à disco, é preciso remover o cilindro mestre soltando um ou dois parafusos.

Coroa 2

Detalhe da trava da coroa.

Agora, é preciso remover a roda e para isso você terá que afrouxar a porca do lado direito da balança com uma chave estrela.

Do lado esquerdo, você tira faz o mesmo e retira o eixo que a mantém no lugar. A roda está solta e levará junto a coroa que também é fixada por parafusos menores.

Algumas motos como a Yamaha XTZ 125 (escolhida para ilustrar a matéria) possuem uma pequena trava próxima aos parafusos da coroa, que deve ser solta com pequenas e cuidadosas marteladas. Depois de retirados, basta puxar a coroa. Se estiver muito dura, pressione do outro lado.

4) Recolocação e lubrificação

Recolocação

Encaixe da corrente e recolocação da roda traseira.

Com a coroa nova já devidamente colocada e suas porcas bem apertadas (não é necessário apertar até estourar a rosca), é hora de recolocar a roda novamente em posição, refazendo os passos do item 3, mas em ordem inversa. Feito isso, a última parte do processo consiste em esticar a corrente e lubrificá-la.

Esticador de corrente Yamaha XTZ 125

Detalhe do esticador da corrente.

Regule a folga com o esticador da corrente, que fica na extremidade balança. Esse item possui formas diferentes em cada modelo, assim como cada motocicleta possui a sua tensão correta. Basta dizer que a distância costuma variar, em média, de 0,5 cm à 1,5 cm. Mas, o ideal é ir experimentando conforme sua altura e peso. Não adianta deixá-la muito esticada (o que pode forçar o motor e a corrente) nem muito frouxa.

Com a folga da corrente ajustada, os parafusos da roda apertados e o freio traseiro recolocado (não se esqueça de fazer isso), o processo está completo. As correntes costumam vir lubrificadas de fábrica, mas não custa realizar uma dose extra por precaução. Existem inúmeros lubrificantes de corrente, mas o mais importante é manter sempre um olho nela, pois isso prolongará a sua vida útil exatamente da forma como foi concebida.


Sobre Lucas Carioli

Amante de corridas, Rock’n Roll e das boas coisas da vida. É publicitário por formação, mas descobriu na arte do jornalismo a verdadeira vocação de sua vida, principalmente falando de automobilismo, a sua grande paixão desde 1989. Entre 2011-2014 atuou como editor do site Motorpasión Brasil. Quando não está escrevendo ou tocando contrabaixo, está perdido em alguma estrada com sua moto.