Empresa japonesa customiza Kawasaki Z1 dos anos 70


Desde o lançamento da Kawasaki Z900RS em outubro, as naked clássicas da marca verde voltaram à moda. Mas esse não foi o caso da firma japonesa AC Sanctuary, que não se intimidou em customizar a própria inspiração do novo modelo: a mitológica Z1 dos anos 1970.

kawasaki-z1-ac-sanctuary-custom-2017-1O trabalho foi feito a pedido de um cliente em Tochigi, ao norte de Tóquio, que desejava principalmente a instalação de uma semi-carenagem dianteira ao estilo Café Racer e uma posição de pilotagem mais confortável.

Isso foi conseguido instalando um novo assento sob medida, prolongadores de mesa exclusivos e um novo guidão providenciado pela japonesa Posh. Tudo foi montado cuidadosamente com coxins de borracha para reduzir as vibrações do motor o máximo possível.


O painel original foi substituído por um misto, com tacômetro analógico e informações digitais. Espelhos e piscas (de LED) também foram substituídos por unidades mais modernas, mas de uma forma que não destoasse do conjunto, todo pintado de preto com linhas douradas, muito agradáveis.

Resolvido o principal pedido, os mecânicos da AC Sanctuary puderam se concentrar na performance. A ciclística foi aprimorada com a instalação de novas forquilhas Öhlins FG 424, montadas em rodas O.Z.  Os discos de freios dianteiro são Sunstar, com pinças Brembo e mangueiras de aço Allegri.

Na traseira, os amortecedores bichoque originais também foram substituídos por unidades Öhlins Legend a gás, que se apoiam em um novo braço oscilante de alumínio. O quadro também foi reforçado e tratado com um revestimento DLC (Diamond-Like Carbon). Os pneus são Pirelli Diablo.

O motor de quatro cilindros em linha, um dos mais fantásticos de sua era, também não escapou de alterações. Eles aumentaram a capacidade cúbica para 1.165cc e instalaram um conjunto de pistões Wossner. A AC Sanctuary trabalhou no cabeçote que agora possui válvulas PAMS HF e uma câmera de combustão Kent.

É claro que os carburadores quádruplos não escaparam. Agora, a respiração da Z1 fica garantida com um Mikuni de 38mm e um novo escapamento fornecido pela marca japonesa Nitro Racing, no formato 4×1, uma obra de arte só de olhar.

O resultado é uma customização primorosa onde se destaca o bom gosto e o bom senso. As linhas gerais da velha Z1 foram preservadas, mas ao mesmo tempo ninguém imagina de que se trata de uma motocicleta com mais de quarenta anos. Em suma, a essência de uma customização de respeito. Coisa de japonês, como sempre.


Sobre Lucas Carioli

Publicitário de formação, jornalista por opção, principalmente sobre o motociclismo, o único "ismo" que pratica. Quando não está escrevendo ou tocando rock, está perdido em alguma estrada com sua moto.