Como funciona o Road Book de uma moto do Dakar?


Para orientar-se no meio do nada, os pilotos de moto do Rali Dakar não contam com um navegador para dizer-lhes a direção. O seu parceiro é o “Road Book”, um dispositivo montado sobre o painel, que necessita de muita perícia para ser decifrado em alta velocidade.

dakar-road-book-3

Olivier Pain, da Yamaha checa a rota do dia: um olho na estrada, outro no Road Book.

O aparato em si é uma curiosa combinação de novo e antiquado, agrupando displays digitais (que apontam o rumo a seguir) e um rolo de papel impresso (!), para que as informações não se percam em caso de pane, por exemplo. É ali que a rota é mostrada, e os pilotos precisam avançar ou retroceder as indicações através de botões nos punhos, dispostos de acordo com as preferências de cada um.

Parece fácil, mas não é, ainda mais rodando a 200 km/h. O piloto precisa prestar atenção nas marcações impressas e combiná-las com o seu hodômetro, disposto logo abaixo. Isso para não dizer em cuidar dos obstáculos ao longo do caminho, como dunas, pedras, poças de lama e até animais.

dakar-road-book-2

O caminho é disposto em papel, para as informações não se perderem em caso de pane.

Você pode estar pensando “é preciso estudar a rota”. Seria o ideal mas, para aumentar o grau de dificuldade, a organização a distribui apenas algumas horas antes da partida, o que literalmente tira o sono dos competidores: “Temos que aprender a navegação e por isso descansamos muito pouco, tenho dormido apenas quatro horas por noite“, admite Joanathan Barragán, novato espanhol que compete pela GasGas.

Barragán, que veio do motocross impressiona-se com o esforço físico que o Dakar demanda, uma corrida 100% de resistência: Nos primeiros dias não acontece nada, mas a medida em que os dias vão avançando, você sente que o corpo não responde da mesma forma“, revela antes de listar o que mais sente falta: “uma boa cama e uma boa refeição, além de algum tempo para relaxar”.

toby-price-road-book-dakar

Campeão em 2016 com a KTM, Toby Price analisa a rota: Sem tempo para dormir.

Além das dificuldades naturais do percurso, os pilotos de moto e quadriciclo carregam ainda a dificuldade de enfrentar as adversidades sozinhos ao longo do caminho, tendo muitas vezes que esperar bastante até a chegada de ajuda: você precisa aprender a pensar a longo prazo para superar“.

Para explicar em imagens como funciona o Road Book ninguém é mais indicado do que Marc Coma, espanhol que foi pentacampeão no Dakar, acumulando vitórias em 2006, 2009, 2011, 2014 e 2015. No vídeo abaixo, o agora ex-piloto (trabalha na organização do evento) revela ainda mais detalhes de como funcionam os dispositivos na moto.



Sobre Lucas Carioli

Publicitário de formação, jornalista por opção, principalmente sobre o motociclismo, o único "ismo" que pratica. Quando não está escrevendo ou tocando rock, está perdido em alguma estrada com sua moto.