Yamaha decide encerrar produção da XT660R no Brasil


Uma era chegou ao fim. A Yamaha decidiu interromper a produção da XT660R no Brasil, o que já havia acontecido na Europa e outros mercados. No entanto, a sucessora da lendária trilheira já está sendo testada no velho continente.

yamaha-xt660r-2014

Aclamada no Brasil, XT660R deixa de ser produzida sem festa de despedida. (Divulgação/Yamaha)

O comunicado foi feito apenas internamente, através de uma curta mensagem aos representantes e concessionários da marca. Os motivos oficiais não foram explicados. O modelo ainda encontra-se à venda nas cores branca e preta pelo preço tabelado de R$ 31.990,00. Em 2017,foram 1.100 unidades vendidas, à frente apenas da XJ6 (760), MT-09 (402) e MT-09 Tracer (200).

Embora não tenha sido dito, sabemos que as razões para o encerramento da produção foram custo-benefício. O motor (um monocilíndrico de 659 cm³ com comando simple, que gera 48 cv à 6.000 rpm com um torque de 5,95 kgfm) já não atende às normas antipoluição da Europa (Euro4) e adequá-lo geraria gastos excessivos em pesquisa e desenvolvimento.

yamaha-xt660z-tenere-2015

A Yamaha não disse o que acontecerá com a XT660Z Ténéré.

Como o Brasil também pretende enrijecer suas normas (com o Promot5), o encerramento da XT660R era apenas questão de tempo. Contudo, no comunicado não ficou esclarecido se a sua irmã XT660Z Ténéré (que utiliza o mesmo motor) terá o mesmo destino imediatamente ou ganha uma sobrevida.

Herdeira de uma vitoriosa linhagem de modelos de competição (que participou desde o Rali Dakar ao Mundial de Motocross), a XT660R como a conhecemos hoje surgiu em 2005 em substituição à igualmente aclamada XT600. Alta, magra e com o torque totalmente disponível à apenas 5.250 giros, a motocicleta garante acelerações vibrantes (literalmente) e agilidade total no trânsito, estrada ou off-road, daí o seu sucesso no Brasil.

A sucessora da XT660R já vem sendo testada na Europa desde o ano passado. Já foram flagrados diversos protótipos de uma nova trilheira que tem como base o motor bicilíndrico de 689 cm³ da MT-07. Com 74 cv e 6.05 kgf.m de torque, é de concepção muito mais moderna e já está plenamente de acordo com as normas antipoluição da Europa, consequentemente do Brasil.

Um desses protótipos inclusive deu às caras no Salão de Milão de 2016 e gerou muita discussão. A expectativa era de que o modelo definitivo fosse lançado no final do ano passado, o que ainda não aconteceu. Contudo, a Yamaha afirma que um lançamento mundial está a caminho.


Sobre Lucas Carioli

Publicitário de formação, jornalista por opção, principalmente sobre o motociclismo, o único "ismo" que pratica. Quando não está escrevendo ou tocando rock, está perdido em alguma estrada com sua moto.