BMW R Nine T “Dark Fighter” a receita chinesa para customizar uma alemã


A BMW R Nine T foi desenvolvida para emular o clássico e os melhores anos do motociclismo. Mas essa customização, feita por um artesão chinês foi exatamente na direção contrária, da modernidade. E não é que ficou muito bom?

bmw-r-nine-t-dark-fighter-2018-capaO projeto foi encabeçado por Lau Hao, proprietário da “Mandrill Café & Garage”, sediada em Pequim desde 2012. De cara, o projeto já começou diferente, ao optar por uma motocicleta (mais cara) de origem alemã ao invés das diversas opções fornecidas pelo vizinho Japão.

Agora, todos criam Café Racers, Scramblers e Trackers, mas a R Nine T é Uma motocicleta retrô-moderna que eu queria torná-la mais moderna. Minha inspiração é anti-retrô”, explica Hao. O modelo, então, ganhou uma tinta preta profunda e um novo subchassi minimalista, cujo único objetivo é segurar o novo assento.

Além da inspiração street-fighter, a R Nine T ganhou um ar medieval graças ao novo farol, praticamente um escudo de LED e às novas aletas laterais com um logotipo próprio. Foi adicionado também um pronunciado para-lama traseiro, que acentua ainda mais essa impressão.

O toque moderno fica evidente no painel, uma peça inteiramente digital fornecida pela MotoGadget. Mecanicamente houve poucas mudanças. Apenas a inclusão de filtros K&N para oxigenar melhor o motor boxer de 1.170cc e novas saídas de escapamento. O resultado é um conjunto muito harmonioso. Quem disse que modernidade é ruim?


Sobre Lucas Carioli

Publicitário de formação, jornalista por opção, principalmente sobre o motociclismo, o único "ismo" que pratica. Quando não está escrevendo ou tocando rock, está perdido em alguma estrada com sua moto.