Indianos revelam superbike elétrica com grande desempenho e maior praticidade


Foi apresentada hoje (16) no Salão de Nova Deli, na Índia a EmFlux One, uma nova superbike elétrica. Capaz de superar os 200 km/h com 200 km de autonomia, a motocicleta promete definitivamente impulsionar as vendas do segmento no país e no mundo.

emflux-one-2018-1Modelos elétricos já estão disponíveis em todos os mercados há mais de uma década, mas suas vendas ainda não emplacaram. Os motivos são vários, desde falta de desempenho, falta de praticidade, autonomia limitada e design demasiado estranho. São argumentos que – em teoria – a EmFlux One pretende derrubar de agora em diante.

Começando pelo design, a motocicleta desenvolvida pela empresa fundada em Bangalore há apenas dois anos é completamente convencional e assimilável aos nossos olhos. Uma moderna e angulosa carenagem cobre boa parte do motor elétrico e a balança é do tipo monobraço deixando exposta a bela roda traseira.

O quadro é de treliça de aço, montado em suspensões invertidas Öhlins e freios Brembo dual channel de 300 mm com ABS de série, como em qualquer outra superbike à combustão interna. As rodas são de liga leve e o peso total é de apenas 169 kg. Tudo parece ótimo, mas, afinal, como é que a EmFlux One se movimenta?

O seu motor refrigerado à água possui 53 kW de energia, o que corresponde a aproximadamente 72 cv. Não é uma potencia assustadora, mas suficiente para fazer a EmFlux One acelerar de 0-100 em três segundos e impulsioná-la a mais de 200 km/h.

Sua alimentação é feita por uma bateria do tipo “li-ion” que utiliza células fornecidas pela Samsung. De acordo com os desenvolvedores, a autonomia é de 200 quilômetros na estrada e de 150 rodando na cidade. A recarga leva três horas a partir de um suprimento convencional mas, com um carregador de alta velocidade pode-se atingir 80% de carga em 36 minutos.

A tecnologia não termina aí. O painel contém uma tela sensível ao toque, câmeras dianteiras e traseiras para fins de navegação e segurança, WiFi, Bluetooth e 4G. A comercialização deve começar em 2019 a um preço de R$ 31 mil, em uma conversão simples. Uma versão ainda mais completa, com carroceria em fibra de carbono será disponibilizada em breve.


Sobre Lucas Carioli

Publicitário de formação, jornalista por opção, principalmente sobre o motociclismo, o único "ismo" que pratica. Quando não está escrevendo ou tocando rock, está perdido em alguma estrada com sua moto.