Cagiva será revitalizada com novo direcionamento, em motos elétricas


O CEO da MV Agusta Giovanni Castiglioni fez declarações surpreendentes sobre o futuro da Cagiva, uma das principais marcas do grupo. A tradicional montadora italiana será revitalizada com um novo direcionamento, as motocicletas elétricas.

cagiva-logoO executivo revelou que os planos são de começarem a criar modelos leves, urbanos e até off-road, assim como o Grupo KTM já vem fazendo ao conceber versões elétricas de suas motocicletas a combustão, as Freeride-E.

Eu acredito na eletricidade. Existe um grande potencial e estamos fazendo um projeto lá sob outra marca, a Cagiva”, explicou Castiglioni. “Estamos investindo em veículos de diversão leve, motos. Digamos que seja meio que como uma família. É uma família que vai desde uma bicicleta para uma motocicleta tipo a Zero, mas diferente”, tentou explicar.

giovanni-castiglioni

Castiglioni: fé na eletricidade. (Twitter/Divulgação)

Castiglioni também ressaltou que as MV Agusta continuarão sendo feitas com motores a combustão. O italiano, no entanto, acha que a eletricidade é um filão a ser explorado nos próximos anos e eles não querem ficar de fora.

Se você quer andar a 300 km/h, compre um motor a combustão. Mas eu acho que pode haver um mercado potencial para eletricidade e queremos estar lá, é por isso que investimos agora”, continuou. “Veremos nos próximos cinco anos como o mercado mudará. Eu acho que há uma ótima oportunidade para isso“, acrescentou.

Fundada em 1950 pela própria família de Castiglioni, a Cagiva entrou no motociclismo apenas em 1978, ganhando destaque em competições como o Rali Dakar (onde venceu em 1990 e 1994) e nas 500cc, onde competiu entre 1988 e 1994.

Nas ruas, seus modelos mais icônicos são as big trail Elefant, a crossover Raptor e a superbike Mito 125, todas precursoras dos segmentos que hoje estão disseminados. Será que a Cagiva será visionária também no segmento das motos elétricas?


Sobre Lucas Carioli

Publicitário de formação, jornalista por opção, principalmente sobre o motociclismo, o único "ismo" que pratica. Quando não está escrevendo ou tocando rock, está perdido em alguma estrada com sua moto.