Ford registra patentes de carro com uma moto embutida


A Ford efetuou o registro das patentes de um projeto bastante incomum, na qual um carro  incorpora uma motocicleta elétrica embutida. A ideia é unir o melhor dos dois mundos: o espaço das quatro rodas e a praticidade das duas rodas, sempre que você precisar.

ford-patente-b

No projeto da Ford, carro e moto fazem parte da mesma estrutura.

Não foram divulgados grandes detalhes, mas trata-se de um carro do tipo minivan, que contém uma motocicleta acoplada ao eixo dianteiro e que pode ser facilmente retirada (esperamos) para curtos trajetos.

Aparentemente o carro é híbrido, com motores elétricos no eixo dianteiro e outro a combustão no traseiro. O esquema permite que um maior espaço seja aberto na frente, onde a motocicleta ficaria fazendo parte do carro, com a roda traseira servindo de apoio central e seu respectivo painel como console.

honda-motocampo

Honda MotoCampo. Parcialmente desmontada no porta-malas do City.

É uma patente radical, sem dúvida, e muito semelhante ao conceito de moto do filme “Batman: O Cavaleiro das Trevas”, quando o homem morcego sai pelas ruas andando de Batpod. E é exatamente por isso que o projeto da Ford parece ficar mais no campo da imaginação do que o da vida real.

Na verdade, essa não é a primeira vez que as montadoras tentam unir motos e carros. No início dos anos 80, a Honda apresentou a “MotoCompo”, uma espécie de minimoto que podia ser encaixada no minúsculo porta-malas do Honda City japonês da época.

As vantagens eram as mesmas: fazer o trajeto mais longo de carro e aproveitar a praticidade da moto nos centros urbanos, por exemplo. Mas a ideia simplesmente não colou, já que tirar, montar e deixar suas roupas com cheiro de motor “dois-tempos” não era tão atraente na vida real quanto os anúncios faziam parecer.

O projeto da Ford promete corrigir parte desses inconvenientes, já que a motocicleta não precisa ser levantada e montada, basta desencaixar e mandar ver. Resta saber se alguém realmente vai querer um carro com os enormes compromissos necessários para permitir que outro veículo seja acoplado a ele.