Os prós e contras de uma motocicleta elétrica


Quando falta gasolina, ou os preços estão muito altos, sempre vem à mente aquela dúvida: ‘se eu tivesse um veículo elétrico não estaria passando por essas dificuldades’. Algumas não, mas outras, sim. Apresentamos aqui os prós e os contras de se possuir uma motocicleta movida à eletricidade (até agora).

zero-ds-2015

Zero Motorcycles: preocupação zero com gasolina, óleo, velas, filtros, válvulas…

Veículos elétricos existem há praticamente tanto tempo quanto os de combustão interna, mas foi apenas com o aumento das preocupações com as emissões de poluentes que ganharam o impulso (com o perdão do trocadilho) que faltava.

A década passada viu as primeiras tentativas concretas de se construir motocicletas elétricas com produção em série. Isso se tornou realidade a partir de 2010, com o aprimoramento das baterias, técnicas de recarregamento e do alvorecer de marcas especificas, como a Zero Motorcycles e Alta Motors.

Embora no Brasil sua participação seja incipiente, quem mora nos Estados Unidos ou na Europa já pode desfrutar das benesses de uma moto elétrica. Nem tudo são flores, no entanto. Vejamos aqui quais são as principais vantagens até agora, lembrando que o mercado está sempre em evolução.


Prós

zero-sr-ponto-de-recargaSão mais gentis com o meio ambiente – Pilotar uma motocicleta elétrica te dá a satisfação de que não estará emitindo nenhum gás tóxico na atmosfera da Terra. Com o impacto do aquecimento global aumentando a cada dia, você estaria fazendo a sua parte para garantir um planeta mais limpo para todos e um mundo menos poluído para as gerações futuras.

Menos gastos com manutenção – Os motores elétricos são impulsionados por baterias, ou seja, não utilizam um propulsor convencional à combustão para se locomover. Isso naturalmente elimina todos os desgastes em decorrência, como velas de ignição, filtros de óleo, bombas, válvulas e outros componentes.

Mais eficientes no perímetro urbano – Como as baterias ainda não possuem uma longa duração, as motos elétricas se destacam mesmo na cidade, onde os pontos de recarga são mais próximos. Além disso, elas esquentam menos e fazem menos barulho, o que pode ser uma dádiva em um dia estressante.

Menor custo por Km percorrido – Veículos elétricos consomem praticamente o mesmo na cidade ou na estrada e atualmente isso é muito menos do que pagamos para encher o tanque em um posto de gasolina. O custo por quilômetro percorrido é significativamente menor e você pode carregá-la no conforto de sua casa.


Contras

zero-s-2018Infraestrutura limitada – Como dissemos antes, veículos elétricos tem uma participação incipiente no mundo e principalmente no Brasil, ainda 100% dependente dos combustíveis fósseis. Dessa forma, longe de casa, não existe nenhum planejamento para a criação de “postos de recarga”.

Pilotar uma motocicleta elétrica em uma estrada deserta ou mesmo em campos vicinais longe da civilização pode se tornar em um verdadeiro filme de terror se você não tiver muitas baterias reservas. Mesmo o carregamento em casa pode ser um transtorno, caso a eletricidade seja compartilhada.

A autonomia ainda é questionável – Apesar de alguns fabricantes já anunciaram terem conseguido rodar mais de 1000 quilômetros com uma motocicleta elétrica, a maioria das opções disponíveis oferece apenas menos da metade disso, para não dizer que baterias nem sempre são iguais na sua capacidade de carga.

Não emitem som – Nós somos motociclistas e não estamos nessa só por praticidade, certo? Queremos uma pitada de emoção, o que é providenciado pelo delicioso som de um motor a combustão. Mas com os elétricos, tudo isso acaba.

Só o que você ouve é um ruído sem vida, semelhante ao de carrinho a controle remoto ou uma broca de dentista. A falta de barulho também parece ser perigosa no convívio com os automóveis, nos tornando mais “invisíveis” do que já somos.

Consumo de energia maior – Ok, nesse caso estamos falando apenas de uma possibilidade, mas a lógica de mercado é simples: maior demanda, maior preço. Se os combustíveis fósseis forem abandonados em detrimento da eletricidade, é esta quem vai passar a custar mais caro.

Além disso, você já viu o tamanho de um carregador de baterias veiculares? Não são exatamente como o do seu smartphone. Presumivelmente o consumo também não, de modo que pode se preparar para um aumento na conta no final do mês.

Problemas desconhecidos podem surgir – Como se trata de uma nova tecnologia ainda em seus primeiros estágios de desenvolvimento, sempre pode aparecer um novo problema não previsto no projeto, ao contrário dos motores a combustão, que possuem mais de 100 anos de aprimoramentos constantes.

Dessa forma, não seria surpreendente ser pego desprevenido com uma falha não esperada – e que a montadora não tinha conhecimento nem preparo para lidar. Possuir uma motocicleta elétrica ainda existe uma certa dose de aventura e paciência. Se essa não for a sua praia, nem pense no assunto, por enquanto.


Sobre Lucas Carioli

Publicitário de formação, jornalista por opção, principalmente sobre o motociclismo, o único "ismo" que pratica. Quando não está escrevendo ou tocando rock, está perdido em alguma estrada com sua moto.