No Japão surgem mais imagens de uma nova Fireblade


As atualizações na última Honda CBR1000RR Fireblade ainda são muito recentes, mas, no Japão especulações sobre uma verdadeira nova geração não cessam. Essas são as imagens que tem circulado por lá nos últimos dias.

honda-cbr1000rr-fireblade-2019-youngmachine-render-jun2018-1Os desenhos computadorizados foram encomendados pela revista Young Machine. Eles apostam que a Honda estaria estudando criar duas superbikes: uma delas seria a nova Fireblade, que receberia um novo quadro (com balança monobraço, como nas fotos) e motor de quatro cilindros em linha.

O segundo projeto seria criar uma motocicleta realmente derivada da RC213V que compete na MotoGP, mas com um valor mais acessível do que a exclusivíssima RC213V-S lançada há três anos em edição limitada. Essa naturalmente conteria um motor V4.



Motores de quatro cilindros em V são o símbolo máximo de esportividade para a Honda. A marca japonesa sempre apostou nessa configuração para vencer nas pistas, desde a NSR500 de dois tempos, passando pela RC30, VFR1200F entre outras.

Além disso, nos últimos anos a concorrência apresentou produtos mais fielmente derivados da MotoGP, como é o caso da Ducati Panigale V4, diretamente descendente da Desmosedici GP15. A KTM também já anunciou que irá fazer o mesmo com sua ainda recente RC16.

De acordo com os japoneses, esse projeto existe há alguns anos nos corredores da Honda e já foi confirmado oficialmente com o possível nome RVF1000. Esse seria o modelo para competições de alto nível (como o World Superbike) deixando a CBR1000RR para campeonatos menores e pilotos ocasionais.

Enquanto isso, no Brasil, a nova CBR1000RR Fireblade está sendo oferecida nas concessionárias Honda Dream em duas versões: standard (R$ 69.990,00) e a topo de linha SP (R$ 79.990,00). No exterior existe ainda uma terceira, a SP2, de homologação para o World Superbike.


Sobre Lucas Carioli

Publicitário de formação, jornalista por opção, principalmente sobre o motociclismo, o único "ismo" que pratica. Quando não está escrevendo ou tocando rock, está perdido em alguma estrada com sua moto.