MotoGP: Pedrosa anuncia sua aposentaria ao final do ano


Dani Pedrosa anunciou hoje (12), na conferência de imprensa que abre os trabalhos para o Grande Prêmio da Alemanha, a sua aposentadoria das pistas após 12 anos de MotoGP. O espanhol, no entanto pretende permanecer ligado à categoria rainha.

dani-pedrosa-anuncio-da-aposentadoria-gp-da-alemanha-2018A entrevista de Pedrosa era a mais aguardada do dia, pois o espanhol havia enviado um comunicado à imprensa na semana passada afirmando que iria divulgar os seus planos futuros hoje. O tricampeão perdeu seu lugar na Repsol-Honda para Jorge Lorenzo em 2019.

A expectativa era de que Pedrosa pudesse assumir o posto de primeiro piloto da nova equipe satélite da Yamaha, que está sendo montada através de uma parceria entre a marca dos diapasões, o governo malaio, o circuito de Sepang e a equipe de Jorge ‘Aspar’ Martinez.

Pedrosa, no entanto, admitiu que a motivação para continuar correndo não é mais a mesma. “É algo que venho pensando há algum tempo“, confessou o espanhol. “As negociações existiram, mas não foram suficientes para mudar a minha decisão“, completou de forma muito emocionada.


Pedrosa, no entanto reafirmou o desejo de permanecer próximo à MotoGP de alguma forma: “é o universo que gosto de estar e, sim quero fazer algo para permanecer aqui“, sem dizer exatamente como. “Quero antes aproveitar ao máximo as corridas que me restam com a Repsol-Honda“, enfatizou.

Nascido em Sabadell, cidade catalã em 29 de setembro de 1985, Dani Pedrosa já foi considerado o piloto espanhol mais promissor desde Angel Nieto. Sob a tutela de Alberto Puig, sua ascensão ao Campeonato Mundial em 2001 foi meteórica, ganhando o título das 125cc em 2003 e nas 250cc em 2004 e 2005, até hoje o mais jovem piloto a fazê-lo.

Sua chegada à MotoGP aconteceu com muita badalação em 2006. Mas apesar de ter conquistado muitas vitórias (31 até agora), poles (31), voltas mais rápidas (44) e nada menos do que 112 pódios, Pedrosa, assim como Randy Mamola, não conseguiu realizar o grande objetivo que era se tornar campeão mundial na classe principal.

Não ter sido campeão mundial na classe principal é algo realmente circunstancial, tenho orgulho do que conquistei“, comentou Pedrosa sobre o assunto. “O que posso dizer é que sempre dei o melhor de mim e quanto a isso estou realmente satisfeito comigo mesmo“, garantiu. Os treinos para o Grande Prêmio da Alemanha começam amanhã (13).


Sobre Lucas Carioli

Publicitário de formação, jornalista por opção, principalmente sobre o motociclismo, o único "ismo" que pratica. Quando não está escrevendo ou tocando rock, está perdido em alguma estrada com sua moto.