Customizador cria Suzuki Bandit em homenagem à Marco Lucchinelli


É impressionante como os feitos das pistas penetram no imaginário popular, principalmente os realizados nas décadas passadas. É o caso do preparador Sergio Giordano, que customizou uma Suzuki Bandit inspirada no campeão mundial de 1981, Marco Lucchinelli.

suzuki-bandit-marco-lucchinelli-style-2018-3Os leitores mais jovens talvez desconheçam Lucchinelli. O intrépido piloto italiano era o líder da Suzuki nas 500cc (hoje MotoGP) no começo dos anos 1980, depois que o popularíssimo Barry Sheene deixou a equipe e resolveu dividir as atenções nos boxes da Yamaha com Kenny Roberts.

Isso acabou se refletindo também nas pistas. Sheene e Roberts ficaram tão distraídos entre si, que permitiram à Lucchinelli conquistar o campeonato de 1981, trazendo o título de volta à Itália, o que não acontecia desde Giacomo Agostini em 1975. Recentemente o piloto ganhou status de lenda da MotoGP.

Quando Sergio Giordano e sua equipe “l’Italian Dream Motorcycles” (IDM) decidiram enfrentar uma preparação excepcional, só tinham uma certeza em mente: a motocicleta deveria ser necessariamente inspirada na Suzuki RG500 que levou Lucchineli ao título.

marco-lucchinelli-1981

Marco Lucchinelli em 1981.

Mas porque não escolheram um modelo de corridas? “Nós escolhemos personalizar uma Bandit, porque para mim, era importante que a moto fosse utilizável no dia a dia“, explicou Sergio. “Aquelas 500cc de dois tempos não eram máquinas muito fáceis de pilotar“. Não é a toa que ganharam o apelido de As inguiáveis.

 O trabalho concentrou-se mais no visual. As carenagens, por exemplo, foram feitas a partir de moldes encontrados em um colecionador finlandês. Embora um espaço para a numeração tenha sido feito, o farol foi mantido na dianteira, dando um toque “endurance” à motocicleta e permitindo a sua utilização nas ruas.

suzuki-bandit-marco-lucchinelli-style-2018-1

O próprio Lucchinelli veio conferir o trabalho de perto. (AcidMoto)

Atrás, na rabeta de corte abrupto (também típico do design da época), duas mínimas lanternas de LED são ladeadas por saídas de escapamento altas feitas no esquema 4-por-2 pelo maestro local Massimo Rinchiuso. O guidão original deu lugar à semiguidões inteiramente novos, assim como as pedaleiras colocadas em posições mais recuadas.

Manoplas e manetes também são novos, assinados pela Brembo, assim como as pinças de freio. As rodas são de magnésio, da marca Marvic Penta. O resultado ficou tão bom, que o próprio Lucchinelli veio dar uma voltinha e já considera-a como sua. Quer reconhecimento maior do que esse?