Capacete com ar-condicionado? Essa empresa garante que conseguiu fazer um


Nessa década, parece que todo mundo resolveu dar aos capacetes mais funções do que apenas proteger a cabeça. Esse é o caso da fabricante norte-americano Feher Helmets, que acaba de anunciar o ACH-1, alegadamente o “primeiro com ar condicionado disponível para o público”.

capacete-ach-1-2018-1

Graças ao ACH-1, a fabricante Feher garante passeios de cabeça fria sempre. (Divulgação)

O capacete deixa sua cabeça fresquinha utilizando tecnologia termoelétrica, a mesma utilizada para resfriar assentos em carros de alta qualidade, com um sistema de convecção que suga o ar externo e o resfria antes de circular em torno do forro de malha patenteado como “Tubular Spacer Fabric”.

De acordo com a empresa, essa técnica permite que o ar filtrado que circula dentro do capacete seja resfriado em até 15 graus. Mas não pense que isso deixará suas bochechas congeladas: o objetivo é apenas reduzir a temperatura interna em torno de seu crânio e tornar o passeio mais confortável.


Os passageiros podem optar por alimentar a unidade de condicionamento de ar com uma pilha própria ou ligando um fio de alimentação diretamente à bateria da motocicleta. Apesar de tudo isso, o peso não ficou muito alto: 1.450 gramas. Para se ter uma ideia, o AGV Pista GP R pesa 1.510 gramas no seu maior tamanho.

A tecnologia por trás do Feher ACH-1 vem do fundador da empresa, Steve Feher, que é creditado por implementar sistemas de resfriamento semelhantes em assentos de automóveis. O preço sugerido é de US$ 599, o equivalente à R$ 2.450,00 sem taxas de importação ou impostos.

A parte mais difícil será convencer os motociclistas de que tudo isso realmente é necessário, algo que os igualmente revolucionários capacetes Skully e Jarvis ainda não conseguiram. Parece que o ato de andar de moto está mais associado à simplicidade e praticidade, afastando-se, portanto, dos sistemas complexos cada vez mais presentes entre os carros.


Sobre Lucas Carioli

Publicitário de formação, jornalista por opção, principalmente sobre o motociclismo, o único "ismo" que pratica. Quando não está escrevendo ou tocando rock, está perdido em alguma estrada com sua moto.