Dez dicas rápidas para pegar a estrada com segurança


Um dos feriadões mais aguardados do ano está apenas começando, oportunidade perfeita para muitos realizarem aquela sonhada viagem de moto. Antes, no entanto, não saia de casa sem conferir essas dez dicas especiais para pegar a estrada com toda a segurança.

01 – Troque o óleo de sua motocicleta

Assim como os nutricionistas recomendam que nos alimentemos direito para obter um melhor desempenho do nosso corpo, o mesmo pode ser dito de nossas motocicletas, que merecem uma dose de óleo fresco antes de encarar uma longa viagem.

Conforme explicamos nesse especial, óleo velho significa que o motor fará as atividades com maior esforço, o que aumenta o consumo e o desgaste de seus componentes internos Então, o que é gastar, digamos, 100 reais, a fim de evitar a quebra prematura cujo conserto não sairia por menos de R$ 1000?

02 – Calibre e verifique os pneus

Muitas pessoas negligenciam a importância dos pneus, mas esse não é o nosso caso. É graças a esse precioso item que toda a nossa diversão se torna possível, portanto trate-os com carinho e dê uma boa calibrada em ambos antes de viajar.

Não sabe qual pressão colocar? As montadoras são obrigadas a fornecer a informação, que quase sempre está disponível no braço oscilante, ou no manual do proprietário. Além disso, verifique se os pneus não estão apresentando rachaduras. Se estiverem, o bom senso sugere a troca, mas se grana estiver curta, não os encha em demasia. E mantenha um olho neles em toda a viagem.

03 – Abasteça antes e em um posto confiável

Deixar para reabastecer a moto na estrada pode ser uma boa pedida, desde que você conheça muito bem a estrada e sua moto. Se estiver indo para um lugar onde nunca esteve antes, o bom senso recomenda: abasteça antes de sair!

Além de encher o tanque em um estabelecimento de sua confiança (evitando, assim, os lugares de procedência duvidosa pelo caminho), você pode planejar melhor a rota, eliminando aquela sensação de aflição em ver o marcador no fim da reserva quando estiver no meio do nada.

04 – Cuidado com o excesso de carga

Quase ninguém repara nisso, mas todos os baús e alforjes de qualidade disponíveis no mercado possuem um limite máximo de carga que podem suportar que costuma ser de 5 a 10 kg. Procure não ultrapassar muito esses limites. O excesso de carga pode afetar a dirigibilidade da motocicleta.

Nossos veículos não são como os carros, que tem duas rodas a mais de aderência. O seu andamento está intrinsecamente ligado ao nosso equilíbrio, que pode ficar afetado com a quantidade de carga a bordo. Por isso procure distribuir o peso de forma homogênea para que a motocicleta não puxe para um lado ou outro.

05 – Verifique a fixação dos suportes de baú e alforjes

Outra consequência do excesso de peso seria em um eventual problema na fixação dos suportes de alforjes que, dependendo da qualidade da peça, podem entortar ou até mesmo quebrar no caminho. Por isso, antes de fixar as malas, dê uma boa verificada com o seu jogo de ferramentas em cada uma das porcas e parafusos que compõem o sistema.


06 – Leve ferramentas essenciais

Apesar dos avanços na qualidade dos atuais modelos e no sistema de assistência que as marcas oferecem, somos da opinião de que todo motociclista tem que levar – no mínimo o conjunto de ferramentas próprios da motocicleta, sem precisar recorrer ao telefone para qualquer eventualidade que ocorrer.

E essas eventualidades podem ser muitas, desde um simples reaperto geral, o desmonte de alguma parte específica (como os suportes citados acima), a remoção de um para-lama entre muitas outras. Enfim, o viajante só tem a ganhar carregando consigo algumas ferramentas essenciais.

07 – Leve o manual do proprietário

Assim com as ferramentas, o manual do proprietário pode ser de grande utilidade em uma viagem, principalmente se você tiver adquirido a moto há pouco tempo e ainda não tem muita familiaridade com seus sistemas.

Lá estão contidas todas as informações que precisa saber, desde a pressão dos pneus, tipo de óleo ou o significado das luzes de advertências do motor e demais dispositivos, cada vez mais numerosos nos modelos mais recentes.

08 – Carregue o celular

Certifique-se de que o seu telefone esteja plenamente carregado e com créditos válidos antes de começar uma viagem. Sim, muitos conseguem viajar sem problemas sem eles, mas se a tecnologia foi feita para melhorar nossa vida, por que não utilizá-la adequadamente?

Outra dica interessante a esse respeito é deixar os principais números de contato na caixa de entrada. Caso você sofra um acidente e venha a ficar inconsciente ou incapacitado (vira essa boca para lá!) isso pode facilitar e muito a vida daqueles que estão te resgatando.

09 – Conheça a rota

Sabe aquela expressão “viajar por aí sem rumo”? Não vá nessa onda. Uma rota bem planejada significa economia de tempo, dinheiro e surpresas, quase sempre desagradáveis, como uma estrada em péssimas condições, por exemplo.

Se for para um lugar desconhecido, conheça bem a rota antes, estude os seus caminhos (o GPS existe para isso), converse com os locais a fim de evitar os problemas descritos acima. E, acredite essas pequenas precauções não tiram, nem um pouco, a graça da viagem.

10 – Fique atento às sinalizações e limites

As multas estão cada vez mais caras. Os radares cada vez mais numerosos. A fiscalização cada vez mais frequente. Nessas circunstâncias, vale realmente a pena arriscar tomar uma pesada infração apenas confiando na sorte?

Poucas sensações são tão desagradáveis do que ser autuado por um policial rodoviário quando sabia que estava errado. Por isso, fique atento aos limites de velocidade. Se ligue nas placas pela estrada, principalmente as de obras. E, acima de tudo, mantenha a calma. Lembre-se que a graça, para nós, é o percurso e não a chegada. Bom carnaval a todos!