Kawasaki GPZ900: atraente como sempre, veloz como nunca


Quando participou do filme “Top Gun – Ases Indomáveis” em 1986, a Kawasaki GPZ 900 garantiu um lugar na história e outro no coração de uma geração. Tanto é que um italiano resolveu deixá-la com uma pitada de modernidade para continuar arrasando no século 21.

Após uma criteriosa restauração e algumas modificações, esta GPZ900 faz você se sentir um Tom Cruise. (Fotos: Paolo Sandolfini)

Lançada em 1984, a GPZ900 foi a resposta da Kawasaki para a Suzuki Katana, de dois anos antes. Seu motor de quatro cilindros em linha e refrigeração líquida rendia 115 cv de potência, o bastante para impulsioná-la a 250 km/h. Parece pouco, mas esqueça dos sistemas eletrônicos de hoje em dia e tudo fica mais excitante.

Baseado em Parma, na Itália, Paolo Sandolfini nem era nascido quando a GPZ900 estrelou Top Gun. Mas o fotógrafo não sossegou até conseguir um exemplar nas mesmas cores do filme. “Eu realmente queria a moto do Top Gun“, conforme explicou ao BikeExif. “Ela parecia muito exótica para mim“.

Sandolfini procurou tanto que encontrou uma GPZ900 da primeira safra, 1984. Mas o seu estado era deplorável, com a carenagem cheia de entalhes e arranhões. Felizmente o fotógrafo é amigo de um ex-mecânico de corridas, que se prontificou em trazer a Kawasaki de volta à sua glória perdida.

Os instrumentos originais foram todos mantidos. (Fotos: Paolo Sandolfini)

Mas eles não a restauraram ao pé da letra. Sandolfini fez questão de realizar algumas modificações sutis e pontuais que não alteraram o aspecto geral da motocicleta. Como você já deve ter notado, espelhos e piscas sumiram, enquanto o para-brisa deu lugar a outro da MRA. O assento veio da NOS VTR, baseada na Alemanha.

Segundo Sandolfini, a carroceria foi toda mandada para um velho especialista em motos de competição que a pintou com o inconfundível vermelho e preto de Top Gun, separados por listras brancas pintadas à mão. O fotógrafo optou por não colocar os decalques originais, exatamente como no filme.

Mudanças internas foram feitas também. O motor foi todo lavado e seu virabrequim atualizado, todas as mangueiras do radiador foram trocadas por outras de silicone e os carburadores originais substituídos pelo modelo Keihin FCR. O escapamento do tipo 4×1 faz os quatro cilindros soarem como devem.

Os carburadores agora são Keihin FCR. (Fotos: Paolo Sandolfini)

Na parte ciclística, os garfos dianteiros originais foram mantidos, mas o amortecedor traseiro agora é uma peça nova da Bitubo. Os freios utilizam pinças Brembo NOS e os pneus são um Avon Roadrider na dianteira e um Bridgestone Battlax de 150 polegadas na traseira. O original era de apenas 130 polegadas.

A originalidade foi mantida nos instrumentos do painel e comandos dos punhos. Apenas as manoplas foram substituídas por outras da Renthal. Dessa forma, a GPZ900 manteve grande parte de sua essência original, mas com alguns upgrades para mantê-la emocionante, para não fazer feio ao lado das máquinas atuais.

 “Eu não a piloto como se estivesse em uma moto histórica“, garante Paolo. “Eu a trato como uma moto moderna, acelerando e freando com força. É por isso que eu amo essa moto, porque é ela é muito rápida e todo mundo se vira para assistir você!“, garante. Quem não se sentiria o próprio Top Gun a bordo dessa moto?