Empresa espanhola cria versão “Dakariana” para Royal Enfield Himalayan


A empresa de vestuário espanhola ​​”Fuel” está apresentando essa semana uma versão customizada da Royal Enfield Himalayan para competir no Rali Scram Africa 2019. O modelo lembra as BMW que competiam no Paris Dakar nos anos 1980.

A aventureira, que é impulsionada por um motor monocilíndrico de 411 cm³ recebeu uma ECU remapeada e um escapamento da Suzuki RM-Z450 para gerar um pouco mais de potência aos originais 24,5 cv e 3,26 kgf.m de torque disponibilizados de fábrica.

A maioria das mudanças foi de cunho estético, como o conjunto óptico dianteiro, que foi substituído por um farol quadrado com moldura, bem ao estilo da época. O assento de dois lugares também foi trocado por outro de caráter mais endurista enquanto que um rack removível foi adicionado na traseira.

O painel original deu lugar a um mostrador redondo único, que contém conta-giros analógico, luzes-espia e demais informações digitais. Os dois mapas de potência são acionados através de uma chave, enquanto que protetores de mão estão acoplados ao guidão do tipo motocross. Os pneus são 100% Off-Road.

A moto é uma criação do fundador da Fuel Motorcycles, Karles Vives, que já está no Marrocos para competir no Rali Scram Africa 2019. Organizado pela própria empresa, o evento é voltado para modelos do tipo Scrambler de até 400cc atravessando grande parte do país africano.

Com etapas que cruzam dunas do deserto e trilhas rochosas, o Rali Scram Africa tem o módico custo de 3.000 euros por piloto, que você paga para ganhar acomodação, alimentação, suporte técnico e muito mais. Entretanto, eles incentivam o piloto a trazer suas próprias peças de reposição para aumentar o clima de desafio do evento.