KTM denuncia KTM por interferência sem autorização no segmento das e-Bikes


Não entendeu o título? A gente explica. A KTM Industries AG, empresa de motocicletas chefiada por Stefen Pierer enfrenta um processo por violação de direitos autorais na Alemanha pela KTM Fahrrad GmbH, firma de bicicletas elétricas (eBikes) líder do segmento que cresce a olhos vistos na Europa.

Essa curiosa situação remonta ao ano de 1991. No processo de insolvência da KTM Motor-Fahrzeugbau, a empresa original foi dividida em duas partes: Stefan Pierer assumiu a área motorizada e deixou o grupo de bicicletas para o revendedor austríaco Hermann Urkauf, cuja ex-esposa Carol Urkauf-Chen é a atual proprietária.

Desde então, a KTM Fahrrad GmbH tem o direito de uso exclusivo da marca comercial no setor de bicicletas e a KTM Industries AG de Pierer não pode se intrometer nesse segmento. Mas, desde então, a procura por eBikes disparou. Na França, elas cresceram quase 40% em 2018 e na Alemanha 37%, com quase um milhão de unidades vendidas.

Leia também
KTM planeja versão “Supermoto” da 790 Adventure
KTM já prepara atualizações na 1290 Super Duke R
Veja a primeira foto de Dani Pedrosa a bordo de uma KTM

Isso fez com que as marcas de motocicletas passassem a se interessar por esse segmento. A Ducati, por exemplo, já tem a sua linha própria e a Harley-Davidson também entrar muito em breve. Como era de se esperar, a KTM está de olho nos resultados e também quer participar.

Embora não sejam conhecidos por aqui, a KTM Fahrrad GmbH já vendeu mais de 4 milhões de unidades em 2012, antes mesmo do boom elétrico. E, com planos de produzir 150.000 ebikes neste ano fiscal, além de já ter investido 20 milhões de euros em novas salas de produção e um centro de logística (tudo financiado pelo próprio fluxo de caixa) a KTM das bicicletas não vê razão nenhuma para voltar a fundir-se com Stefan Pierer.

De acordo com o jornal alemão Die Presse, dois processos já foram concluídos a favor da KTM Fahrrad na Alemanha. Os analistas acham que Pierer tem poucas chances de utilizar a sua logomarca em motocicletas. A alternativa seria investir mais na Husqvarna, essa sim uma marca de sua propriedade que já conta com uma linha de eBikes.