Conheça a Superleggera V4, a Ducati mais tecnológica e avançada já produzida


A Ducati apresentou oficialmente hoje (6) a Superleggera V4, versão ultraleve da Panigale V4 R. A marca italiana afirma que esta é a moto mais poderosa e tecnologicamente avançada já produzida em Borgo Panigale.

Com 224 cv e apenas 152 kg, a Superleggera V4 tem uma relação peso/potência de 1,41 hp/kg. (Fotos: Ducati Motor)

Conforme já havíamos antecipado aqui e aqui, a Superleggera V4 possui o mesmo motor de 998 cm³ que equipa a Panigale V4R, cerca de 2,8 kg mais leve do que o propulsor de 1.103 cm³ da Panigale V4 convencional.

Graças a um escape Akrapovič homologado fornece pelo menos 224 cv, potência que pode chegar a 234 cv quando equipada com o escape de titânio da mesma marca para uso em pista, incluído no kit de competição que vem com a motocicleta.

Além disso, apenas o motor da Superleggera V4 vem com uma calibragem especial na tela chamada “RaceGP”. Destinada ao uso exclusivo em pistas, e projetado com informações de Andrea Dovizioso, é uma ramificação direta do painel de instrumentos da Desmosedici GP20, o protótipo de MotoGP.


As configurações de pilotagem foram desenvolvidas pelos pilotos de MotoGP.

Graças ao uso extensivo de componentes em fibra de carbono, titânio e magnésio (além de outros fabricados em alumínio sólido) o peso a seco da Superleggera é de apenas 152 quilos, 16 kg a menos que a Panigale V4, resultando em uma relação potência/peso de 1,41 hp/kg.

Toda a estrutura de suporte ao chassi monocoque (chassi, chassi auxiliar, braço oscilante e rodas) é feito de materiais compósitos, alcançando uma redução de peso de 6,7 kg. As dimensões do quadro foram modificadas e o comprimento do braço oscilante aumentado para melhorar o poder de desaceleração, ângulo de inclinação e linhas mais nítidas saindo das curvas.

Também é de fibra de carbono toda a carenagem, assim como as aguardadas asas aerodinâmicas. Inspiradas na Desmosedici GP16, elas garantem uma força descendente de 50 kg a 270 km/h, 20 kg a mais do que os apêndices da Panigale V4 e V4R. O downforce melhora a aceleração, contraria a tendência de wheelie e aumenta a estabilidade em frenagem.


O desenvolvimento do projeto “1708” começou em meados do ano passado.

Os controles eletrônicos também foram aprimorados. São três modos de pilotagem padronizados, todos de orientação esportiva (Race A, Race B e Sport) e cinco modos adicionais que podem ser personalizados. Os pilotos podem monitorar os tempos de volta através do Lap Timer, que pode gravar as coordenadas da linha de chegada e dos tempos parciais para cinco circuitos favoritos, como Laguna Seca, Mugello, Jerez, Sepang e Losail. Ainda há um quickshifter bidirecional.

A motocicleta vem equipada com bengalas Öhlins NPX 25-30, as mesmas da Panigale V4R, de ajuste manual, o que economiza cerca de 600g em relação a unidade semi-ativa eletrônica da Panigale V4S. O amortecedor traseiro é o modelo TTX36, também da marca sueca. As pinças de freio são Brembo Stylema, as melhores disponíveis.

Apenas 500 unidades da Superleggera V4 serão produzidas, ao ritmo de cinco por dia. Cada exemplar será numerado individualmente e com certificado de autenticidade. O número de identificação (XXX/500) é exibido no quadro, no garfo e na chave de ignição. As primeiras entregas serão feitas em junho.