Yamaha anuncia parada na fábrica de Manaus e outras medidas


A Yamaha do Brasil anunciou ontem (24) a paralisação de sua fábrica no Polo Industrial de Manaus (AM) a partir do dia 31 de março. A medida visa impedir a disseminação do coronavírus no Estado do Amazonas.

O estado, que declarou estado de calamidade na segunda-feira (23), registrou ontem (24) a sua primeira morte em decorrência do vírus, um homem de 49 anos residente de Parintins, a 369 quilômetros de Manaus.

“Em atendimento às recomendações das autoridades de saúde e no esforço de contenção à Pandemia do COVID-19, a Yamaha Motor do Brasil e as demais empresas que fazem parte do Grupo Yamaha, adotaram nas últimas semanas algumas medidas para garantir o bem-estar e saúde dos colaboradores e de seus familiares”, disse a Yamaha em um comunicado.


“Essas medidas incluem, e não se limitam, a adoção do trabalho remoto para uma parcela dos colaboradores, reuniões internas e com fornecedores realizadas por videoconferências, viagens pelo país e ao exterior suspensas e todos os eventos e ações internas e externas cancelados”, continuaram.

Algumas áreas essenciais com necessidades específicas poderão, eventualmente, trabalhar em regime excepcional de plantão”, avisaram. “Nesses casos, a empresa seguirá oferecendo a seus colaboradores todas as proteções individuais necessárias em salvaguarda para evitar o contágio. Medidas adicionais, quando definidas serão informadas oportunamente”.

A paralisação em suas unidades febris está prevista inicialmente para acontecer entre 31 de março e 19 de abril, regressando às atividades no dia 20 de abril de 2020. Até o momento, o coronavírus já matou 47 pessoas em solo brasileiro, além de 2.271 casos confirmados.