MotoGP: diretor da KTM acredita que calendário com dez corridas ainda é viável


O diretor da equipe KTM, Pit Beirer acha que será impossível a realização das 19 etapas previstas para a temporada 2020 de MotoGP. Mas, para o austríaco, a manutenção de dez provas ainda é algo viável.

Com a disseminação do coronavírus ainda em avanço na Europa e Continente Americano, os GPs do Catar, Estados Unidos, Argentina e Espanha já foram cancelados. E a expectativa é de que mais eventos sigam o mesmo caminho.

Se pudéssemos ter dez corridas em cada categoria teríamos um campeonato de trabalho para as equipes, poderíamos fazer um trabalho decente para nossos patrocinadores e fãs e decidir os campeões mundiais“, disse Beirer ao Speedweek. “Ainda deve ser nosso objetivo realizar campeonatos razoáveis ​​[este ano]. Mas para isso precisamos de uma certa liberdade de viagem“.


Apesar de o COVID-19 ainda não dar sinais de desacelerar na Europa, Beirer acredita teremos um segundo semestre de 2020 mais positivo, baseando-se na curva de contágio da China, que agora começa a retroceder.

Agora você precisa aguardar os resultados dessas restrições. Ao mesmo tempo, o período de incubação é de até 14 dias. Portanto, o número de pessoas infectadas continua a aumentar antes que a tendência se reverta“, explicou. “E se o número de doentes continuar a aumentar, ninguém vai se atrever a falar seriamente sobre uma temporada de MotoGP. Mas espero que possamos usar os números da China como guia. Depois, temos um período de oito, dez ou doze semanas“.

Ontem (26), a Dorna anunciou o adiamento do Grande Prêmio da Espanha, previsto para 3 de maio. As etapas seguintes acontecem na França (17/5), Itália (31/5) e novamente na Espanha (07/6), regiões que estão sofrendo muitíssimo com o contágio do coronavírus.