Ezpeleta: “correr na Ásia sem público é impossível”


A MotoGP está se preparando para a temporada 2020 com a realização de, pelo menos, 12 etapas na Europa. Fora do continente, no entanto, a situação é mais incerta. De acordo com o CEO da Dorna, Carmelo Ezpeleta, as corridas realizadas na Ásia precisam contar com público devido aos altos custos.

Em entrevista à Fox Sports Asia, Carmelo Ezpeleta falou sobre a possibilidade de correr no continente asiático: “adoraríamos ir para a Ásia, mas é preciso estar com os espectadores. Sem eles é muito difícil devido ao custo de viajar para lá. Sob essas condições, não seria possível. Iremos apenas se pudermos correr com os espectadores“.

Isso, no entanto, não significa que essas corridas não serão realizadas: “já estamos conversando com os promotores para ver se é possível ou não. Talvez no início de setembro possamos anunciar se finalmente haverá grandes prêmios não europeus“, acredita.

Até o momento, todas as etapas no continente asiático e na Oceania seguem agendadas como desde o início: GP da Tailândia (4 de outubro), GP do Japão (18 de outubro), GP da Austrália (25 de outubro) e GP da Malásia (1º de Novembro).

O objetivo é fazer entre 12 e 13 GPs na Europa entre julho e o início de novembro e depois mudar para a Ásia e a América, se possível, até meados de dezembro“, disse Ezpeleta à ESPN. “Nós concordamos com os fabricantes para não corrermos depois disso. Eu acho que o prazo máximo é 13 de dezembro“, aponta.