Ducati celebra o centenário de Fabio Taglioni, pai do motor desmodrômico


A Ducati está celebrando essa semana o centenário de Fabio Taglioni, engenheiro italiano responsável pela criação e desenvolvimento do motor “desmodrômico”, em utilização até hoje.

Nascido em 10 de setembro de 1920 na região da Emilia-Romanha, Taglioni formou-se engenheiro mecânico e foi o diretor técnico da Ducati entre 1954 e 1989, o que significou um período de grande crescimento em projetos, ideias e patentes.

Após criar alguns modelos que fizeram sucesso nas pistas, como a Gran Sport 100 e 125, Taglioni começou a trabalhar no conceito do motor desmodrômico, junção das palavras gregas Desmos (vínculo ou nó) e Dromos (trilha ou caminho), devido à característica de as válvulas serem continuamente “ligadas” ao eixo de comando.


Basicamente o sistema desmodrômico dispensa a utilização de molas nas válvulas, que são substituídas por atuadores e gatilhos na abertura e fechamento das mesmas. A grande vantagem é proporcionar uma alta capacidade de giro sem causar o fenômeno da flutuação de válvulas ou quebra das molas por fadiga de material.

O primeiro modelo Ducati com esse tipo de motor foi a GP Desmo 125 em 1956, um sucesso quase imediato nas pistas. Os engenheiros que vieram depois de Taglioni continuaram esse desenvolvimento e a tecnologia passou a ser aplicada a quase todos os modelos Ducati topo de linha desde 1968.

Aproveitando o centenário de seu nascimento, uma noite dedicada à sua memória foi realizada na cidade de Lugo em 9 de setembro, um evento promovido pelo município e com a colaboração da Ducati. Uma minissérie chamada “Fabio Taglioni: A Life of Passion” está disponível tanto no site da marca quanto no canal do YouTube e conta sua história com imagens e vídeos exclusivos.