Morbidelli: “Com Rossi no pódio teria sido um dia perfeito”


Um calmo e reflexivo Franco Morbidelli comentou seus pensamentos sobre a vitória conquistada no GP de San Marino realizado ontem (13) em Misano, a sua primeira na MotoGP.

O piloto da equipe Petronas-Yamaha assumiu a ponta na largada para não mais perdê-la. O italiano apenas precisou conter os ataques de Valentino Rossi, que queria ver no pódio com ele, como admitiu ao GPOne.

Estou feliz pelo [Joan] Mir, mas com o Valentino teria sido um dia perfeito para a VR46 Riders Academy“, disse Morbidelli, já que Francesco Bagnaia, que também foi da academia chegou em segundo. “O maior piloto do mundo decidiu se comprometer com esse projeto e o resultado é que todos os jovens italianos vem de lá” relembra. “É um campeão que põe à nossa disposição suas instalações e experiências, é um gesto nobre“, reconhece.


Depois de um ano na sombra de Fábio Quartararo, Morbidelli finalmente obteve a sua “vingança” com uma vitória sólida e madura. O italiano, filho de mãe brasileira, no entanto, disse que não se sentia muito pressionado.

Sempre sonhei com isso, mas não estava obcecado“, garante. “Sempre olhava o próximo passo para dar e nesse final de semana foi a vitória. Me concentrei em cada pequeno detalhe para me preparar para a corrida e quando comecei a me sentir bem fui fluído e consistente. Uma sensação maravilhosa“.

Morbidelli também admite que estava com a cabeça nas nuvens nas últimas voltas: “Pensei em muitas coisas, foi uma espécie de sessão de psicologia [risos]. O primeiro pensamento foi para todas as pessoas que me ajudaram e acreditaram em mim. Há 7 anos estava vencendo aqui no campeonato italiano de Superstock. A curva da minha carreira tem sido muito curta e íngreme, tenho que agradecer à VR46 Academy, minha namorada, sua família, minha família, minha mãe, porque todos fizeram um ótimo trabalho comigo, me forçaram ao máximo“.

Morbidelli tornou-se no quinto vencedor diferente em seis corridas realizadas até agora na temporada 2020. Na classificação do campeonato, o italiano está em sétimo com 57 pontos, apenas 19 atrás do novo líder, Andrea Dovizioso (Ducati), com 200 pontos ainda em jogo nas oito etapas restantes.