Honda África Twin sobrealimentada é flagrada em registros de patente


Parece até uma brincadeira, mas não é: a Honda registrou patentes de uma CRF1100L África Twin com um motor sobrealimentado. O sistema, no entanto, é diferente daquele utilizado pela Kawasaki.

Três patentes de engenharia detalhadas, cada uma com cerca de uma dúzia de páginas foram protocoladas no Escritório de Patentes do Japão e detalham um compressor e um sistema de dupla alimentação, que usa injeção direta e indireta de combustível para maximizar o desempenho e economia, reduzindo as emissões.

Nas imagens aqui mostradas, o compressor aparece montado no atual motor da África Twin, de 1.084 cm³, que foi projetado para ser compacto, leve e com torque, em vez de potência total. Enquanto o sistema da Kawasaki utiliza um compressor centrífugo, que não produz muito impulso até que esteja funcionando em alta velocidade, o da Honda é de deslocamento positivo, ou seja, move uma quantidade fixa de ar a cada rotação.


Basicamente isso significa que você obtém a mesma quantidade de pressão nos cilindros desde a marcha lenta até a linha vermelha. É o tipo de compressor que os pilotos de arranca utilizam, pois fornece impulso próximo ao máximo em toda a faixa de rotações. No caso da África Twin, também é mais útil, já que a moto não percorre velocidades mais baixas do que uma Ninja H2.

Embora ainda haja um injetor de combustível para cada cilindro montado logo abaixo das borboletas do acelerador, a Honda também adicionou um segundo que dispara direto para a câmara de combustão, utilizando uma bomba de combustível extra acionada pelo eixo de comando para fornecer uma grande quantidade de pressão de combustível e fazer a gasolina inflamar assim que é injetada.

Tudo isso é desenvolvido, como sempre, com apenas uma coisa em mente: aumentar a performance do motor ao mesmo tempo em que diminui o consumo de combustível e nível das emissões. Equação difícil de resolver, mas que vem sendo contornada com os ingredientes acima na indústria automobilística desde os anos 1980.

O fato de a Honda ter registrado três patentes separadas sugere que os japoneses levam o projeto a sério. Em agosto do ano passado também flagramos os desenhos de um sistema de injeção direta para a África Twin. Isso não é uma garantia de que a ideia chegará à produção, mas com o segmento adventure não dando sinais de declínio, é um argumento persuasivo para incorporar a tecnologia futuramente.