MotoGP: Rossi testa positivo para Covid-19 e não corre em Aragão


Valentino Rossi confirmou hoje (15) que testou positivo para o novo Coronavírus em uma verificação de rotina para o Grande Prêmio de Aragão, no próximo domingo (18). O enecampeão, portanto, está automaticamente fora da prova.

Ausente de todos os compromissos promocionais, Rossi confirmou o seu estado através de suas redes socais. O italiano realizou dois testes: Um, do tipo PCR deu negativo, mas o outro confirmou a presença do vírus Sars-CoV-2 em seu organismo.

“Infelizmente, esta manhã, levantei-me e não me sentia bem”, disse Rossi. “Eu estava com os ossos dormentes e um pouco de febre, então liguei imediatamente para o médico e eles fizeram dois exames. O teste rápido PCR deu negativo, assim como na terça-feira passada. Mas o segundo, cujos resultados me foram enviados hoje às 16h00, infelizmente, deu positivo”.


Ausência de Rossi abre caminho para a volta de Lorenzo.

Rossi será novamente testado dentro de uma semana, em preparação para a segunda corrida no circuito Motorland, mas o italiano não acredita que irá correr: “Gostaria estar otimista e confiante, mas imagino que também não estarei na segunda corrida… Estou triste e chateado porque fiz todo o possível para respeitar o protocolo e embora o teste de terça-feira tenha dado negativo, estou em quarentena desde que vim de Le Mans”, revelou.

“É assim que as coisas são, não posso fazer nada para mudar esta situação. Agora vou seguir o conselho dos médicos e só espero que possa me encontrar bem logo”, concluiu o piloto de 41 anos. Na semana passada, a Yamaha disputou o GP da França sem seis de seus principais engenheiros diagnosticados com Covid-19.

Rossi é o primeiro piloto de MotoGP a ser diagnosticado com o Coronavírus, mas não de todo o campeonato mundial. Em setembro, o espanhol Jorge Martin, que compete na categoria Moto2 também contraiu Covid-19 e precisou se ausentar das duas etapas realizadas em Misano, na Itália.

A ausência de Rossi em, talvez, duas etapas abre a possibilidade de que Jorge Lorenzo volte a pilotar uma Yamaha quase quatro anos depois de sua saída. O espanhol, que ocupa o cargo de piloto de testes da marca não deve pilotar domingo, mas sua participação no GP de Teruel, na próxima semana, certamente será analisada.