Honda trabalha em piloto automático (total) para motocicletas


O controle de cruzeiro adaptativo baseado em radares é a nova febre na indústria motociclística, mas na sala de projetos da Honda já é coisa ultrapassada. Nesse projeto, os engenheiros japoneses detalham um sistema que fornecerá, pela primeira vez, assistência de aceleração, frenagem e de direção automática em motos.

Visto pela primeira vez na Ducati Multistrada V4 e oferecido como opcional na BMW R1250RT, o controle de cruzeiro adaptativo utiliza câmeras e radares para analisar a distância ao veículo da frente e manter uma velocidade constante. Desenvolvido pela Bosch, o sistema ainda permite alertar o condutor de possíveis perigos em pontos cegos.

Já o projeto da Honda flagrado nesses registros de patente mostra um servo motor montado atrás da mesa de direção com uma corrente conectando-o aos garfos da motocicleta e capacitando-o a pilotar a moto por conta própria, especialmente quando se trata de mudanças de faixa em rodovias.

O servo de direção também pode aplicar comandos de direção automaticamente para conter ventos laterais ou até mesmo para auxiliar em emergências, agindo junto com o controle de tração e ABS na prevenção de colisões. A ideia é ter um controle de cruzeiro adaptativo para monitorar o tráfego à frente e um computador para operar os freios e o acelerador, mantendo uma distância segura mesmo quando a velocidade do tráfego muda.


A BMW já testou uma R1250GS capaz de andar sozinha.

A adição do controle de direção significa que a motocicleta também pode mudar automaticamente de faixa, ou até mesmo seguir as instruções de navegação por satélite, por exemplo, deixando uma rodovia em um cruzamento escolhido sem qualquer ajuda do piloto.

A Honda sempre gostou de ser uma pioneira em alta tecnologia, mas o modus operandi da marca é desenvolver seus próprios sistemas internos, em vez de comprá-los de terceiros. Como tal, não é nenhuma surpresa ver esses pedidos de patente, que sugerem um dispositivo mais avançado que o da Bosch.

A tecnologia está cada vez mais estabelecida entre os automóveis, com sistemas de “assistência ao motorista” melhorando rapidamente nos carros modernos. Na semana passada, a Tesla começou a testar sua tecnologia “Full Self-Driving”, que se destina a dar a seus carros a capacidade de realizar viagens inteiras com o motorista atuando como apenas como supervisor ao invés de assumir o controle direto. No ano passado, a BMW mostrou uma R1200GS capaz de andar sozinha.

A Honda também já demonstrou que pode fazer motocicletas com autobalanceamento usando um sistema de direção automática, em seus protótipos Riding Assist e Riding Assist-E, de modo que a tecnologia não é apenas um conceito maluco. Só resta saber se o público motociclista – bem diferente dos atuais compradores de automóveis – quer esse esse dispositivo.