Entrevista exclusiva com Nuno Caetano




O Notícias Motociclísticas entrevistou Nuno Caetano, que disputa algumas das principais corridas de estrada pelo mundo. O português falou sobre sua participação no Troféu Turista da Ilha de Man 2015 e quais serão as principais corridas que pretende participar até o final esse ano.

1544427_999970463349571_3965463031561363257_n

Sem dúvidas o sonho de muitos amantes de motos é poder dar, pelo menos uma volta no belo e desafiador traçado de 60 km do Troféu Turista da Ilha de Man. São 300 curvas, algumas muito rápidas, combinadas com outras que não podem ser feitas a mais de 60 km/h. Mas para acelerar na Ilha não basta ser apenas bom e ter vontade: também é preciso ter muita coragem.

Uma minúscula parcela de erro pode colocar tudo a perder, até mesmo a vida, como aconteceu com mais de 200 pilotos. Mas, apesar do perigo, muitos se habilitam a entrar com tudo na estrada e tentar acelerar o máximo possível. Um desses é Nuno Caetano, de Portugal, que fez sua estreia no Troféu Turista em 2012 depois de participar do Manx Grand Prix em 2011, quando foi considerado o melhor estreante internacional.

Caetano segue os passos de outro grande piloto português, Luis Carreira, que foi o pioneiro em seu país, no que diz respeito às corridas de estrada. Infelizmente, Carreira perdeu a vida em um fortíssimo acidente durante o GP de Macau de 2012.

Nesse rápido bate-papo, Nuno fala sobre sua participação na legendária prova britânica, por onde pretende estar correndo até o final do ano e também pediu um grande apoio dos brasileiros para Paschoalin, já que eles são grandes amigos. Confira!

Notícias Moticiclísticas: Quais foram os principais métodos de preparação que você utilizou para o Troféu Turista da Ilha de Man 2015?

Nuno Caetano: Visitas regulares a Ilha e vídeos onboard.

NM: Como você pode resumir a sua participação no evento esse ano? Pelo que se viu, os resultados não foram ruins.

NC: Os resultados foram muito bons para o que eu tinha proposto. Não sou piloto profissional. Sair do TT com quatro réplicas de bronze e volta mais rápida a 122.741 mph foi muito bom.

NM: O que acha que melhorou de 2014 para 2015 e o que ainda pode ser aprimorado, para tentar buscar resultados ainda mais expressivos?

NC: Experiência é a única coisa que faz você andar mais rápido no TT.

Nuno Caetano em ação pela classe Senior TT na Ilha de Man. (Foto: Phil Windrum)

Nuno Caetano em ação pela classe Senior TT na Ilha de Man. (Foto: Phil Windrum)

NM: Então, você avalia que 2015 foi o seu melhor ano no Troféu Turista?

NC: Sim! Com certeza.

NM: Nesse ano, alguns treinos e corridas foram adiados ou cancelados, devido ao mau tempo e acidentes. Isso atrapalhou a sua preparação de alguma forma, ou você conseguiu manter o mesmo foco de sempre?

NC: Não acho que o mau tempo tenha sido penalizante. Tivemos talvez uma das semanas mais quentes no TT, que eu me lembre.

NM: Em relação ao público de Portugal que acompanha o Troféu Turista, achas que têm aumentado nos últimos anos?

NC: Fico cada vez mais surpreso com o número de pessoas que seguem e, sobretudo, que se deslocam para a ilha para ver as corridas. Não tive uma volta onde não visse bandeiras portuguesas no circuito.

NM: Depois de participar do Troféu Turista da Ilha de Man, quais são seus planos até o final do ano? Pretende participar de mais algum evento importante?

NC: Pretendo correr no Ulster Grand Prix e se tudo correr bem o GP de Macau.

NM: Dentro de Portugal, achas que podem surgir outros bons pilotos que podem disputar o Troféu Turista no Futuro?

NC: Sem dúvida. Temos e bons pilotos de moto em Portugal. É só uma questão de tempo.

Nuno pela Supersport, classe que ele treinou com mais intensidade para obter bons resultados. (Foto: Stephen Bower)

Nuno pela Supersport, classe que ele treinou com mais intensidade para obter bons resultados. (Foto: Stephen Bower)

NM: Das classes que você participou esse ano, em relação a outros anos passados, qual você acha que teve um crescimento de desempenho dentro da corrida?

NC: Em termos pessoais penso que melhorei mais na Supersport. Fiz treino especifico para conseguir andar bem de 600cc uma vez que sou piloto formado em 1000cc. De uma forma geral, penso que o nivel melhorou muito nas 1000cc. Quando tem pessoas correndo a mais de 131mph e ainda não conseguem estar entre os dez primeiros é porque o nível é muito alto.

NM: Por fim, mande uma mensagem para os brasileiros que são fãs do Troféu Turista.

NC: Continuem a seguir e a apoiar o meu grande amigo Rafael Paschoalin que continua mantendo a bandeira brasileira bem alta na Ilha de Man. Abraço!




Sobre Daniel Machado

Estudante de administração, aprendeu a gostar das corridas em duas rodas graças a Alex Barros. Curte também um bom Rok'n Roll e viajar pelo Brasil. Escreve sobre corridas desde 2009 e acompanha diversas categorias sobre as duas rodas.

Deixe uma resposta