Agora é oficial: Yamaha retorna ao World Superbike

A Yamaha anunciou de forma oficial hoje (23) o que já estava sendo especulado há muito tempo: sua volta ao World Superbike. A marca dos diapasões chega ao campeonato em parceria com a equipe Crescent Racing.

Yamaha World Superbike 2016Ainda no começo desse mês havíamos noticiado que a equipe britânica estava negociando com a Yamaha, interrompendo uma parceria de anos com a Suzuki. Na mesma matéria, informávamos que os prováveis pilotos seriam Sylvain Guintoli e Alex Lowes, o que também foi confirmado hoje.

Lowes, de 25 anos, já é piloto da Crescent Racing e desde o começo tinha total apoio para continuar na equipe. Já a chegada Guintoli, apesar de esperada não deixa de ser uma surpresa, pois o campeão de 2014 realiza sua primeira temporada pela Honda. O francês, por sinal, levará consigo para a Yamaha o patrocínio da Pata, uma marca italiana de salgadinhos.

“Este é um momento muito emocionante para nós, que esperávamos ansiosamente voltar ao World Superbike, após uma ausência de quatro anos. Com a nova YZF-R1, diretamente desenvolvida a partir da tecnologia da MotoGP, ficou claro que era necessário retornar ao WSBK para mostrar todo o potencial da nossa máquina.” (Eric De Seynes, chefe de operações da Yamaha Europe)

A lendária Yamaha YZF-R1 foi inteiramente reformulada no final do ano passado, quando foi apresentada no Salão de Milão, na Itália. A superesportiva vem sendo experimentada em diversos campeonatos pela Europa com sucesso, principalmente no competitivo campeonato britânico (British Superbike). Contudo, seu maior triunfo, até agora foi a vitória nas 8 Horas de Suzuka, com Pol Espargaró, Bradley Smith e Katsuyuki Nakasuga.

“Temos agora um ano de experiência com a nova R1 em muitos outros campeonatos onde a moto já mostrou seu potencial, como a incrível vitória nas 8 Horas de Suzuka e os resultados muito positivos que nossas equipes oficiais estão acumulando pela Europa. Agora estamos prontos para estar de volta ao cenário mundial e eu estou feliz que temos encontrado na Crescent Racing os mesmos valores de profissionalismo, engenharia de detalhe e paixão pela vitória que compartilhamos.”

A chegada da Yamaha ao World Superbike é muito bem vinda, porque a categoria deve perder o apoio oficial da Aprilia. No começo da semana, o chefe Romano Albesiano avisou que eles estariam se concentrando totalmente na MotoGP, a partir de 2016.

Deixe uma resposta